AQUI ESTAMOS DE PÉ, CABEÇA ERGUIDA NA LUTA POR UMA ESCOLA PÚBLICA DE QUALIDADE!!!

Este pretende ser mais um espaço de comunicação entre o SEPE núcleo Angra dos Reis e os trabalhadores da Educação desse município, tanto da rede estadual quanto da rede municipal, contribuindo assim para a organização e luta por uma educação pública de qualidade.

Juntos somos mais fortes na luta pela educação!!!!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Figura4Figura4Figura4Figura4EDUCAÇÃO EM LUTA, NA GREVE DOS SERVIDORES

Os Profissionais da Educação de Angra dos Reis reuniram-se ontem (31/03) em praça pública e decidiram que a greve dos servidores, deverá ter uma pauta da Educação, pauta esta para além das questões salariais. Avaliou-se que nossas condições de trabalho afetam a qualidade de ensino e não podemos mais admitir trabalhar em condições precárias.
Trabalhamos em escolas onde não há canetas de quadro, diários de classe, zeladores. Em espaços escolares onde o mau cheiro, o calor excessivo, a falta de infraestrutura atrapalha o bom andamento das aulas. Ainda não contamos com o mínimo de 1/3 da carga horária para planejamento! Essa lei foi elaborada em 2008 e até hoje o poder público de Angra não a aplicou. Precisamos de tempo para planejar e melhorar nossas aulas, melhorar a qualidade da educação concedida aos filhos dos trabalhadores de Angra.
Temos um compromisso com essa parcela da população e somos impedidos pelas más condições de trabalho de realizarmos nossas atividades de maneira plena, com a qualidade que a população trabalhadora dessa cidade merece.
Muitos profissionais da Educação adoecem devido as más condições de trabalho. São professores/as com uma carga horária extensa para garantir salários melhores, são zeladores trabalhando por três ou quatro, o calor intenso nas escolas que leva crianças e servidores a passarem mal. Enfim, uma série de “coisas” que nos impedem de exercer de forma adequada nossas funções.
Por esses e outros motivos estamos em greve e em luta. Não temos partido! Nosso partido é a educação pública de qualidade! Vamos nos unir e mudar essa situação!
Pauta específica dos Profissionais da Educação de Angra dos Reis
O que reivindicamos para além da reposição salarial?
·         Cumprimento da lei federal 11.738/2008, que preconiza o mínimo de 1/3 de planejamento na carga horária dos docentes;
·         Inclusão das disciplinas diferenciadas no currículo das séries iniciais do ensino fundamental, tais como Educação Física, Educação Artística e Musical e Língua Estrangeira, melhorando a qualidade de ensino e garantindo 1/3 de planejamento na carga horária das séries iniciais;
·         Imediata compra de material didático-pedagógico para o bom andamento do funcionamento da escola, tais como canetas de quadro, tinta para copiadoras, diários escolares, etc.;
·         Imediata contratação de zeladores em caráter emergencial (enquanto não é realizado o concurso) para atender as unidades escolares onde não há zeladoria;
·         Climatização das unidades escolares;
·         Concurso público para docentes, pedagogos, merendeiras e zeladores;
·         Fim das terceirizações;
·         Implementação de alternativas construídas junto as unidades escolares  para o fim da violência nas escolas;
·         Paridade entre ativos e inativos (inclusive o direito ao Bancred)
·         Obras emergenciais nas unidades escolares de acordo com cronograma discutido com a categoria e unidades escolares para listar prioridades;
·         Aplicação do Plano Municipal de Educação (PME);
·         Aumentar nível de escolaridade para o cargo de Monitor de Educação Especial;
·         Garantir a formação continuada no horário de trabalho sem prejuízo para estudantes;
·         Criação do cargo e concurso  para Monitor de Informática para o total funcionamento dos laboratórios de informática;
·         Transparência na aplicação do Fundeb, publicizando sua aplicação;
·          Autonomia pedagógica, inclusive para rejeitar projetos de empresas privadas que são implementados nas escolas, tais como Sangary e Abramundo.

O Sepe disponibilizará toda a sua estrutura para que seja utilizada como instrumento nesta greve e convida @s trabalhador@s da educação a participar como protagonistas desta greve participando de comando de greve, comando de negociação, assembleias.
Deixamos claro nosso desejo de continuar a greve caso as pautas da educação não sejam atendidas com negociação protagonizadas por nós.
O Sepe como um sindicato histórico de luta pela defesa dos profissionais da Educação e  que sempre esteve e está na defesa da Escola pública, gratuita e de qualidade coloca todo seu aparato a disposição dos profissionais de educação em luta.
Sempre nos mantivemos a disposição da categoria e se não protagonizamos essa luta foi por respeito a decisões nas assembleias da categoria que colocou sempre uma necessidade de diálogo e trabalho conjunto com Sinspmar, porém percebemos que nesse momento os profissionais da educação não estão sendo comtemplados nessa greve, pois nossas reivindicações específicas não entraram na pauta de negociação, mesmo com toda pressão dos educadores.

Chamamos tod@s @s profissionais da educação para assembleia, a ser definida hoje as 14h na praça da prefeitura,  onde daremos tratamento à nossa pauta específica.

Aos responsáveis e estudantes da
rede municipal de educação de Angra dos Reis.


1 - Em relação à greve em curso nas escolas do município devemos uma satisfação aos usuários de tais escolas. Em primeiro lugar afirmando que não é de nosso interesse prejudicar os estudantes e com a greve, mas infelizmente a greve foi a maneira que encontramos para que professores e funcionários estejam liberados para pressionar o poder público por melhorias no que acreditamos ser um dos meios importantes para mudanças na sociedade e melhoria nas condições de vida da classe trabalhadora: a educação pública;

2 - Queremos que esta greve seja rápida e por isso faz se necessário a participação e pressão de toda a comunidade escolar incluindo responsáveis pelxs estudantes e todos que acreditem na educação pública como fundamental para justiça, igualdade e desenvolvimento humano;

3 – Nossas questões não são apenas salarias mais pedem mais conforto para estudantes e professores nas escolas: ar condicionados nas salas, inclusão de língua estrangeira, educação musical, educação artística, educação física nas turmas de C.A ao 5o ano, mais segurança nas escolas, obras emergenciais nas escolas;

4 – Precisamos de material de trabalho, como caneta de quadro, diários escolares que ainda não chegaram nas escolas;

5- Concurso público urgente para professores, pedagogos, zeladores, merendeiras e inspetores para repor os que estão faltando, entre outras reivindicações.


5- Não temos partidos políticos nem estamos interessados em intervir no processo eleitoral, lutamos no governo anterior assim como estamos lutando neste e em qualquer outro governo que não respeite a educação e ao trabalhador da educação. NOSSO PARTIDO É O DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE PARA @S FILH @S DA CLASSE TRABALHADORA!!!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013


PAUTA:
 ESCOLHA DE NOVO CONSELHO FISCAL.
QUESTÕES ESPECÍFICAS DAS REDES ESTADUAL E MUNICIPAL

domingo, 27 de outubro de 2013

O FIM DA GREVE DE 2013

Texto escrito por Hamilton Santos.


No dia 22 de Outubro os profissionais da educação foram duramente golpeados. Foi assinado um "acordo" onde os professores foram ameaçados a saírem de uma greve de dois meses e meio, com repercussão nacional e apoiada por toda a sociedade. Esse acordo de rendição aconteceu em uma reunião às portas fechadas com a presença do Ministro Fux do STF, do secretário de educação do Estado Wilson Risolia, da secretária de educação do Município Claudia Costin e de membros da direção central do SEPE. Foi aprovado um acordo que assinava a rendição dessa greve histórica de 2013 e o fim desta sem qualquer benefício para os trabalhadores da educação, para os alunos e para o povo.

Nas assembleia do estado e do município, nos dias 24 e 25, confirmava-se o fim da greve na educação de forma estranha, pois a greve dos profissionais da educação estava com força a nível nacional e havia se transformado em referência para diversos profissionais da educação de todo país e para o povo brasileiro que foi ás ruas lutar por uma educação pública de qualidade. A vitória estava próxima, porém...


É preciso destacar que este "acordo" não contou com a participação dos mais de 100 profissionais da educação que foram em caravana para Brasília e que, infelizmente, foram impedidos pela direção do sindicato de participar da audiência, de se aproximar do Tribunal de Justiça e até mesmo de permanecer em Brasília enquanto a audiência ainda acontecia. Fato que contrariou o que foi votado em assembleia do sindicato, na qual ficou decidido que pessoas do comando de greve, que não eram da direção do sepe central, participariam do encontro com o STF ao lado do sepe central. Porém a direção central passou por cima dessa decisão e não permitiu que representantes do comando de greve participasse do fatídico encontro.

A luta da educação, que levou milhares de pessoas às ruas em nas principais capitais do país, em apoio aos professores do Rio de Janeiro envolveu pais, alunos, funcionários, professores, comunidades, movimentos sociais e o povo. Nossa greve se tornou uma referência de luta para todo o Brasil, pena que foi apunhalada pela união dos governos municipal, estadual, federal e pela direção central do sindicato.


Mas a luta não acabou. As escolas públicas ainda continuam sendo depósito de alunos e professores considerados sem "valor". Faltam condições de trabalho para os profissionais da educação. Ainda continuam com salas de aulas lotadas, banheiros quebrados, com diretores indicados sem serem eleitos democraticamente como era antigamente, com disciplinas de apenas 1 tempo com 50 minutos de duração, com escolas e turmas sendo fechadas constantemente, com alunos, professores e funcionários sendo removidos como lixo a cada novo fechamento de escola (são mais de 300 escolas, apenas do Estado, fechadas em 3 anos), com professores e funcionários mal-remunerados.


Não apanhamos à toa. A luta continua e as ruas mostram o caminho...

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Supremo Tribunal Federal concedeu liminar ao Sepe que impede o desconto de greve na rede estadual

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta terça-feira, em liminar, suspender a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) de cortar o ponto dos professores grevistas.

A decisão foi dada em reclamação feita pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Estado do Rio de Janeiro (SEPE/RJ) no Supremo contra decisão do TJ-RJ que autorizou o corte do ponto dos profissionais que aderiram à greve. O sindicato alegava, no pedido que chegou ao Supremo, que a decisão da corte carioca violava o direito constitucional à greve, que começou em 8 de agosto.

O ministro Fux justificou sua decisão pela suspensão do corte do ponto no argumento de que a medida “desestimula a livre manifestação do direito de greve”.

“Quando examinada sob o quadro fático subjacente, a decisão reclamada, autorizativa do governo fluminense a cortar o ponto e efetuar os descontos dos profissionais da educação estadual, desestimula e desencoraja, ainda que de forma oblíqua, a livre manifestação do direito de greve pelos servidores, verdadeiro garantia fundamental. Com efeito, não foi outro o objetivo do aresto reclamado que não o de inviabilizar o exercício dessa liberdade básica do cidadão, compelindo os integrantes do movimento a voltarem às suas tarefas diuturnas”, afirmou, em trecho da decisão.



quarta-feira, 9 de outubro de 2013

ESCLARECIMENTO SOBRE O CORTE DE PONTO

As decisões sobre o corte de ponto são preliminares, isto é, estão em caráter de liminar. Não tem nada definitivo. Ainda está sendo julgada. Assim sendo, não existe ainda o julgamento do mérito, a decisão final ainda não aconteceu. Logo, são cabíveis recursos das partes envolvidas. O SEPE já entrou com o recurso em relação a liminar. 
 
Nenhuma direção de colégio poderá cortar ponto algum de professor em greve, sendo que a ação não foi julgada e mesmo depois de julgada ainda cabe recurso à ambas as partes. São ameaças do governo sem amparo jurídico algum. Ninguém poderá ficar sem salário ou ser ameaçado de exoneração sem base na lei. A lei está do nosso lado, já que cumprimos com todas as etapas legais, perante a lei, na construção dessa greve que é justa, que denuncia o que esses governos corruptos estão fazendo com a educação pública de qualidade.

Por isso tantas ameaças e essa intensa violência policial contra os professores.
 
Esse governo só sabe ameaçar e agredir com violência policial o professor. Porém no campo jurídico nada pode ser feito contra o professor até que tudo seja julgado, os recursos analisados, ou seja: pode continuar fazendo sua greve, exercendo seu direito de trabalhador garantido pela Constituição de 1988.
 
 Apesar de tudo o que o governo está fazendo contra os professores do Rio de Janeiro, o povo está apoiando a greve dos profissionais da educação. Juntos somos fortes!


terça-feira, 8 de outubro de 2013

PROCESSO DE SELEÇÃO

O NÚCLEO ANGRA DOS REIS DO SEPE/RJ ESTÁ ABRINDO PROCESSO SELETIVO PARA OCUPAÇÃO DO CARGO DE AUXILIAR ADMINISTRATIVO. OS CANDIDATOS DEVEM COMPARECER NO DIA 14/10/2013, ÀS 18 HORAS PARA ENTREVISTA EM NOSSA SEDE: TRAVESSA MIGUEL ELIAS MIGUEL, 35 – SALA 117 – CENTRO – ANGRA DOS REIS.

REQUISITOS PARA O EXERCÍCIO DA FUNÇÃO:

1-CONHECIMENTO BÁSICO DE INFORMÁTICA
2-DOMÍNIO DA LÍNGUA PORTUGUESA
3-PARTICIPAÇÃO/ENTENDIMENTO DA IMPORTÂNCIA DA AÇÃO POLÍTICA NA SOCIEDADE
4-PONTUALIDADE E ASSIDUIDADE

SÃO NECESSIDADES DO SERVIÇO:

A)REDAÇÃO DE LIVRO DE ATAS
B)REDAÇÃO DE OFÍCIOS, MEMORANDOS E CARTAS
C)MANUTENÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO ORGANIZADO E LIMPO
D)EXECUÇÃO DE SERVIÇOS EXTERNOS (BANCOS, ORGÃOS PÚBLICOS, ESCOLAS)
E)ATENDIMENTO À CATEGORIA
F)ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVO

O SALÁRIO INICIAL OFERECIDO É DE R$ 936,11 E O HORÁRIO DE TRABALHO É DE 13 H ÀS 19 H.

OBS: O INTERESSADO NÃO PODE SER SERVIDOR DA EDUCAÇÃO.